Processo produtivo

A fábrica de compostos de PP está localizada em um edifício industrial próprio, ao lado da fábrica de resinas de PP de Ensenada, Província de Buenos Aires, para aproveitar melhor os serviços, manutenção, logística e armazenagem.

Tem 4 extrusoras industriais, dois delas da marca JSW Japan Steel Works, e dois W&P Werner und Pfleiderer, além de uma extrusora de desenvolvimento de tamanho reduzido, para trabalhos pequenos. A capacidade nominal total de produção é de 2.000 toneladas por mês.

Conta com um completo laboratório, incluindo análise de cores, e tem também acordos de cooperação com os laboratórios de seu fornecedor de tecnologia.

No esquema há 3 etapas.

Etapa 1:
As matérias-primas são recebidas em diferentes formas físicas e tipos de embalagens, que serão utilizadas no processo de produção de compostos de PP.
Para ser incorporadas ao processo, devem ser descarregadas em silos intermédios, a partir de onde são dosificadas por equipamentos automáticos.

Etapa 2:
Os dispositivos de dosagem automáticos por perda de peso asseguram o ingresso contínuo e estável de cada insumo.
Depois de adicionar os diferentes componentes de um composto, eles devem ser misturados em forma homogênea. Para fazê-lo é utilizado um extrusor.
O extrusor consta de um cilindro aquecido a aproximadamente 200 graus centígrados, contendo em seu interior um par de parafusos desenhados para uma alta capacidade de mistura.
O sistema de parafusos corrotativos permite misturar intimamente a massa polimérica com os reforços (talco, carbonatos ou FV), aditivos e pigmentos. O material fundido que sai pela extremidade do extrusor através de uma placa perfurada é peletizado e esfriado.

Etapa 3:
Nesta etapa, os pellets do produto terminado são armazenados em silos intermédios para sua análise e classificação.
Depois, eles são colocados em sacos big bag de 700 ou 1.000 Kg.
O composto de PP está agora em condições de ser entregue aos clientes.